Quantos profissionais são necessários para fazer um bom projeto de marketing digital?

Tempo de leitura: 6 minutos

Creio que umas das maiores dificuldades dos pequenos e médios empresários é entender como trabalhar corretamente com o marketing digital. E mais: acredito que essa dúvida a respeito de como trabalhar corretamente com o marketing digital pode ser uma consequência do mito de que “marketing digital é barato” e de que o seu retorno é “garantido”.

Normalmente, depois de experimentá-lo, a maioria se frustra por não obter aqueles resultados fantásticos que são propagados por aí. E essa é a etapa de repensar nos negócios e na sua estratégia de divulgação na internet.

O fato é que o marketing digital é uma ótima ferramenta para atrair clientes e fidelizá-los. Para isso, porém, são necessários diversos profissionais com especialidades completamente diferentes, mas que juntos somam conhecimentos aplicáveis em cada projeto nesse segmento.

 

Para entender melhor como funciona essa mecânica e entender também por que o maior custo do marketing digital é o investimento em pessoas, resolvi escrever este artigo com a lista dos profissionais envolvidos em um projeto de sucesso.

O marketing digital, ao contrário do que se pensava antes,
requer muito mais profissionais do que as mídias do passado.

 

Atendimento

Num primeiro momento, nós, da LinkBrand, consideramos que o profissional de atendimento é aquele responsável por entender os objetivos de cada cliente e por alinhar todas as expectativas sobre o investimento que será feito no trabalho de marketing digital.

Ao contrário do que se praticava antes, com as agências off-line, esse profissional de atendimento precisa ter um nível de conhecimento avançado sobre o marketing  digital estratégico. Isto porque, numa reunião de briefing, percebemos que o marketing digital é um universo do qual os empresários sabem pouquíssimas coisas, ou que simplesmente é um mundo que desconhecem totalmente, e é por esse motivo que o profissional de atendimento precisa saber muito do assunto.

Dados como quanto a empresa pode pagar por uma venda, quanto custa um novo cliente no cenário atual, qual o valor de um novo cliente para a empresa ou até mesmo qual a meta macro desse trabalho com marketing digital são primordiais para que tenhamos objetivos preestabelecidos pela empresa e para que, com esses objetivos bem alinhados, consigamos passar as atividades para a equipe de planejamento de uma maneira clara e assertiva.

Ainda em relação a esses dados solicitados pelo profissional de atendimento, é certo que muitos empresários nunca fizeram essas contas ― o que eu acho natural. No entanto, dentro desse processo teremos que entender esses números para alcançar o que será considerado o sucesso do projeto de marketing digital em questão.

 

Planejamento

Depois de avaliar todos os objetivos, os resultados atuais e o orçamento, podemos começar a fase de planejamento. Na minha visão, trata-se da parte mais prazerosa do processo.

Muita criatividade, reuniões de brainstorm, pesquisas de mercado, mapeamento de concorrentes e alguns outros dados são importantes para que o planejamento seja efetivo e atinja as metas e objetivos.

Após compreendermos melhor as oportunidades que podemos explorar, ficamos focados em iniciar um trabalho de projeção e alinhamento com a equipe de produção.

 

Design & Redação

Após o planejamento determinar as oportunidades, entramos em uma fase de produção. Essa fase envolve dois tipos de profissionais muito importantes para o sucesso do projeto: o redator e o designer.

A redação é um trabalho bem delicado, que depende de uma série de fatores para que o projeto seja um sucesso. Afinal, na maior parte do tempo, estamos nos comunicando com milhares e milhares de outras pessoas por meio de textos escritos, que possuem as suas próprias particularidades e provocam efeitos diferentes daquilo que comunicamos durante a fala.

Independentemente da classificação que se possa dar a esses textos (desde simples chamadas ou posts em mídias sociais até artigos mais complexos sobre temas bastante específicos, entre diversas outras possibilidades), ao redator compete o desafio de contemplar: de que características essa redação se compõe? com que tipo de público ela dialoga direta e/ou indiretamente? de que “articulações” esse profissional pode se valer para que, mais do que “uma simples leitura”, o seu texto suscite no leitor o tipo de mobilização que se espera? quais as suas “manobras enunciativas” para se antecipar às diferentes interpretações que poderiam decorrer dessa leitura? E, ainda a esse propósito: como falar a leitores tão distintos por meio de um único texto e mediante uma mesma abordagem?

Assim como o redator, o designer desempenha uma atuação essencial em todo esse processo, sendo o responsável pela maneira como os textos ganharão ainda mais “vida”, graças a outros recursos visuais que atraem o público-alvo para além da palavra e que também lhes despertam sensações, como é o caso da escolha e da combinação de cores, da disposição das informações, da associação texto-imagem, etc. (É comprovado que imagens vendem muito mais quando estão muito bem alinhadas à linguagem textual.)

Tal como o redator, o designer é um profissional que confere um “estilo” a cada ação desenvolvida no projeto, desde um simples post publicado na mídia social até a construção de um site bem mais elaborado. E é também por essa razão que esses dois profissionais, redator e designer, costumam trabalhar juntos.

 

Mensuração

Essa é a etapa para a qual a internet oferece muitos diferenciais!

Como temos um mundo quase 100% rastreado (digo “quase” porque também encontramos algumas dificuldades de mensuração no caso de troca de dispositivo, por exemplo), conseguimos aprender diariamente com os dados que obtemos.

Acessos, cliques, visualizações, navegabilidade, tempo médio de página e uma série de outras informações nos ajudam a entender, por exemplo, o comportamento dos usuários que chegam a um site. Esses usuários também são rastreados depois de acessar a sua página, sendo que, se eles voltarem a acessá-la, sabemos por meio de qual campanha ele nos conheceu.

Analisar esses dados pode nos orientar muito corretamente a respeito de onde os nossos esforços estão sendo bem investidos. Desta forma, conseguimos focar a nossa força em atividades que garantirão um bom retorno.

Creio que ficou bem claro que o investimento no marketing digital é, basicamente, um investimento em pessoas. Já o investimento em mídia é um ótimo atrativo de acessos; contudo, sem um plano de marketing para transformar o acesso em conversão, provavelmente será um gasto bem alto e sem grandes resultados.

Outro ponto importante é não ficar refém do investimento em mídia, pois existem outros caminhos para atrair acessos de forma orgânica, tais como SEO ou até mesmo conteúdos altamente viralizantes.

Com este texto, espero ter conseguido transformar a sua percepção sobre como o investimento em marketing digital funciona. Se você gostou ou tem algo a agregar, por favor, comente neste artigo. Obrigado!